Fora do Caminho · Planejando a Próxima

Caminho de Santiago de Compostela – Espanha

Na entrada da cidade de Najera, Espanha, há um muro pintado com o seguinte poema, de autoria do padre Eugenio Garibay:

“Poeira, barro, sol e chuva

É o Caminho de Santiago.

Milhares de peregrinos.

E mais de mil anos.

Peregrino, quem te chama?

Que força oculta te atrai?

Não é o campo das estrelas,

E nem as grandes catedrais.

Não é a bravura Navarra,

E nem o vinho dos Riojanos.

Nem os mariscos Galegos,

Nem os campos castelhanos.

Peregrino, quem te chama?

Que força oculta te atrai?

Não é a gente do Caminho,

E nem os costumes rurais.

Não é a história nem a cultura,

Nem o galo de La Calzada,

Nem o Palácio de Gaudí,

Nem o castelo de Ponferrada.

Tudo eu vejo ao passar,

E é com prazer que vejo tudo,

Mas a voz que me chama,

Esta eu sinto muito mais fundo.

A força que me empurra,

A força que me atrai,

Não sei explicá-la,

Só o de cima o sabe”.

Inspirada por esse poema, eu afirmo: tem um momento na vida da gente que o Caminho passa a chamar os peregrinos!

Nos últimos meses tenho lido muito sobre O Caminho, e em muitos relatos de peregrinos aparece que eles não pegaram O Caminho. O Caminho os pegou. Ele não lhes dá a palavra, ele os silencia. A maioria dos peregrinos está, aliás, convencida de que não decidiram nada por conta própria, mas, ao contrário, as coisas “se impuseram a eles”.

Tão achando estranho essa história de chamado, de convocação feita pelo Caminho, né. Mas olha só o que tem acontecido comigo. Como ignorar todas essas “coincidências”…

É claro que a peregrinação pelo Caminho de Santiago sempre esteve nos meus planos de viagem, como um sonho acalentado, algo do tipo assim “um dia eu farei…”, mas nada concreto, nada de datas e outros detalhes. Apenas um desejo, um sonho…

Santiago 2

Então, “recados” começaram a chegar até mim este ano. A pouco tempo atrás, no mês de Julho deste ano de 2016, eu estive em Bonito/MS, trip que eu relatei aqui Bonito/MS

Lá eu conheci uma pessoa que fez O Caminho de bicicleta e me fez alguns relatos sobre a peregrinação. Já me entusiasmei. Mexeu no meu braseiro…

Retornei para casa e poucos dias depois, no meu aniversário, ganhei um presente da querida prima Luciana – um livro. Adorei, pois amo ler. Do que trata o livro: o Caminho de Santiago! Veja aqui a sinopse do livro Pelas trilhas de Compostela – O relato de uma viagem laica – Jean-Christophe Rufin  .Mais um sopro na minha pequena chama… Devorei o livro em poucos dias.

Livro III

Passou poucos dias, fui à missa dominical. Sobre o que o padre falou no sermão: o Caminho de Santiago! Nossa! Aí já era uma labareda…

Daí em diante aprofundei pesquisas na net sobre O Caminho. Comprei mais um livro. Leia a sinopse aqui 27 dias e algumas histórias no Caminho de Santiago de Compostela – Carlos Alberto Tenroller . Encomendei outros. Comecei a acompanhar sobre o assunto nas comunidades do Facebook. Tenho pesquisando tudo sobre O Caminho:  época mais adequada para fazer a peregrinação, roupas e calçados indicados, peso da mochila, a história do Caminho, etc, etc, etc…

Daniel Pereira

E no decorrer dessas pesquisas, o que descubro: sabem qual é o Dia de Santiago?? 25 de Julho. Gente, é o dia do meu aniversário!!  Sem mais…

Já me defrontei com a pergunta feita por meus interlocutores, a mais óbvia, quando, de forma entusiasmada, conto que irei fazer O Caminho. “Por que você vai atravessar o Oceano, gastar uma grana com essa viagem, caminhar 800 km carregando uma mochila, por cerca de 30 a 40 dias, fazer calos e bolhas nos pés, maltratar as costas, dormir em quartos coletivos com gente que não conhece?”

Embora a resposta, óbvia também, esteja na ponta da língua: “refletir!”, estou ciente de que para isso também posso me jogar no sofá de casa ou caminhar no quarteirão onde moro, opto pela resposta bem humorada e um tanto irônica dada pelo escritor Jean-Christophe Rufin “Quando parti para Santiago, não buscava nada, e o encontrei”.

Ainda citando o mesmo autor: “Como explicar aos que não o viveram, que O Caminho tem como consequência, senão como virtude, fazer esquecer os motivos que levaram a segui-lo? Ele substitui a confusão e a infinidade de pensamentos que levaram a pegar a estrada pela simples evidência da caminhada. Partimos, é só. É desse modo que ele resolve o problema do porquê: pelo esquecimento. Não se sabe mais o que havia antes. Do mesmo modo que as descobertas que destroem tudo o que as precederam, a peregrinação de Compostela, tirânica, totalitária, apaga as reflexões que levaram a realizá-la”.

Explanado isso, fica evidente que não tenho escolha, nem vou resistir. O vírus de São Tiago me infectou profundamente. Ignoro quem ou o que operou o contágio. Está em fase de incubação, mas tenho todos os sintomas…

Livro I

Muito bom esse livro. Gostei muito.Bem detalhado sobre a parte histórica do Caminho.Confere mais informações aqui No Caminho de Santiago – José Eduardo Iop

Comprei também o mundialmente famoso O Diário de um Mago, do Paulo Coelho, que abandonei lá pela metade. Sinopse aqui O diário de um Mago – Paulo Coelho

Sinceramente, eu não estava preparada para uma abordagem tão… digamos assim, esotérica, à respeito do Caminho.

Livro II

Projeto Maio de 2017. Farei o mais tradicional,  o Caminho Francês. Serão 800 km desde Saint-Jean-Piedde-Port, na França, à pé. Eu e meu cajado! Sob as bençãos do Santo Apóstolo…

3

5 comentários em “Caminho de Santiago de Compostela – Espanha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s