Brasil · Casinha sob rodas

Quarta Colônia e Parque Witeck- Rio Grande do Sul – Brasil

Dentro da proposta de passeios curtos, para curtir um final de semana ou um feriado, se apresentou a mim a Quarta Colônia. A região próxima à Santa Maria, no coração do Rio Grande do Sul, foi batizada de Quarta Colônia por ter sido o quarto núcleo de colonização italiana no Estado, e reúne nove municípios: Silveira Martins, Ivorá, Nova Palma, Faxinal do Soturno, São João do Polêsine, Dona Francisca, Pinhal Grande, Agudo e Restinga Seca. O adorável elemento surpresa desse passeio chama-se Parque Witeck! Veja as imagens e entenda porquê.

IMG_20200719_095203
Prepare-se para fazer lindas fotos no Parque Witeck!

IMG_20200719_095541

Eu e o amore Lu fizemos esse passeio num final de semana tempos atrás, com Frida, nossa Casinha sobre Rodas, sem maiores planejamentos, e deu tudo muito certo. A única coisa que me detive foi escolher um final de semana quente e ensolarado, apostando com muita fé na previsão do tempo. E funcionou!

IMG_20200719_100102
Cercada pela natureza. Reenergizante!

IMG_20200719_100340

No final da tarde de uma sexta-feira nos encontramos em Santa Maria e a bordo de Frida seguimos para o Centro Internacional de Arte e Cultura Humanista Recanto Maestro, ou simplesmente Recanto Maestro, como é conhecido o distrito situado no limite entre os municípios de São João do Polêsine e Restinga Seca, distante 37 km de Santa Maria. Chegamos quando a tarde caía. Circulamos pela área da Antonio Meneguetti Faculdade examinando os prédios e casas que compõem o complexo e tentando entender do que exatamente se trata o lugar.

IMG_20200718_082920
Lindas vistas no Recanto Maestro

Uma das primeiras edificações que se destaca após o trevo da RS 149 é o Hotel Business Center Beira Rio, colosso de 10 andares e 124 quartos, cada um deles. Eu soube que em cada quarto há uma reprodução de uma pintura de Meneghetti dependurada acima da cabeceira da cama. A segunda torre, do mesmo tamanho e porte da primeira, está em fase de construção.

Depois, passamos pelo Centro Esportivo e Educacional Antonio Meneghetti, pela sede da Antonio Meneguetti Faculdade, onde também se localiza a livraria da editora universitária que oferece os livros de Meneghetti. Em uma parede entre o primeiro e o segundo piso, há uma grande imagem dele, ar professoral, com uma citação: “Recanto Maestro não é um lugar, não é uma política, não é uma localidade, é uma performance liderística. É um pensamento, uma nova racionalidade aplicada, feita de território, meios, dinheiro, projetos, mas, sobretudo, de pessoas”.

Pela frente vimos a Fundação Antonio Meneghetti, as esculturas a céu aberto desenhadas por Meneghetti e a Galeria La Ontoarte del Maestro Antonio Meneghetti, museu de 777 metros quadrados dedicado integralmente a pinturas, esculturas e tapeçarias de Meneghetti.

A Faculdade tem 1.150 alunos, dos quais 20% moram no Recanto Maestro. Cerca de 700 estão na graduação, distribuídos por cinco cursos. Quatro deles são tradicionais: Direito, Administração, Sistemas de Informação e Pedagogia. A peculiaridade é a única graduação do planeta em Ontopsicologia, com duração de quatro anos e meio.

A ontopsicologia é, dependendo do ponto de vista, a ciência ou pseudociência desenvolvida por Meneghetti. Nos materiais da faculdade sobre o bacharelado está escrito que a diferença para “todas as demais ciências e áreas de conhecimento é que a Ciência Ontopsicológica examina dentro da coisa, ou seja, busca sempre as coisas como são”. Ainda, que “é o estudo da lógica do homem real, sadio, responsável e artífice positivo de bem estar e sociedade”.

Bom… Achei o tema bem complexo e como não fui para a Quarta Colônia para tentar descobrir os segredos relacionados ao italiano Antonio Meneguetti (já oficialmente falecido, embora circule uma versão entre alguns moradores de que o dito cujo não morreu e tudo foi uma jogada planejada pelo próprio…)  e o império que construiu ali, e sim para descansar e curtir as belezas do vale e os bucólicos cenários rurais, foquei no que me interessava: as belas paisagens, a boa comida e bebidas, como vinho e cachaça artesanal.

Rodamos pra lá e pra cá com a Frida pelas ruas limpas e bem cuidadas do Recanto, observando as mansões com cara de “private” e por fim fomos conhecer a Pousada Recanto. Eu já tinha lido ótimas recomendações sobre o lugar, e realmente não nos decepcionou. Eu adoraria passar um final de semana em um dos chalés em meio à natureza, mas desta vez estávamos carregando nossa casinha nas costas, nossa Suíte Master versão caracol. Chegamos já a noitinha na Pousada e mesmo no “lusque-fusque” observamos o capricho e esmero na decoração dos prédios, a arquitetura colonial italiana, o jardim, os detalhes do restaurante, tudo muito bacana.

Solicitamos informações sobre o cardápio do jantar, composto de couvert e três “passos” e mais sobremesa e já super me interessei. Decidimos jantar, curtindo o calor de duas lareiras que crepitavam e cercados por um ambiente tranquilo e acolhedor. Ali mesmo conhecemos um simpático casal que também possui um motor home e trocamos impressões de viagens, dicas e contatos.

IMG_20200717_213058
Amostra das delícias servidas no jantar na Pousada Recanto

Atendendo sugestão do garçom escolhemos um vinho de produção local, da Vinícola Domus Mea, que conhecemos no dia seguinte. Um vinho da uva Montepulciano que estava delicioso, foi aprovado por nós.

IMG_20200717_195831

Jantar maravilhoso, vinho muito bom, mas o cansaço bateu e precisávamos arrumar um cantinho para passarmos a noite na nossa casinha. Nos dirigimos para a entrada de Recanto Maestro e fomos conversar com a recepcionista do Hotel Beira Rio. Moça muito simpática, autorizou que passássemos a noite no estacionamento do hotel, local seguro, protegido e ainda pudemos utilizar a água da torneira do jardim, o que garantiu nosso banho na ducha do banheiro da Frida.

Dormimos muitíssimo bem ali, na maior tranquilidade. De manhã partimos em direção ao Vale Vêneto. Ainda na saída de Recanto Maestro, sempre por estradas de chão batido em boas condições, paramos para conhecer a Vinícola Domus Mea. Lugar muito bonito, aprazível, mas como não tínhamos feito reserva prévia, não foi possível fazer a degustação dos vinhos. Desta vez nos restringimos ao Montepulciano do jantar.

IMG_20200718_085819

Por volta das 10 horas da manhã estacionamos a Frida na lateral da escadaria que dá acesso à Igreja de Corpus Christi em Vale Vêneto. Fomos no mercado comprar itens para nosso café da manhã, que tomamos ali mesmo, enquanto conversávamos com moradores curiosos com nossa casinha. Depois fomos conferir o interior da igreja, que estava com a porta lateral aberta, mas sem ocupantes. Igreja simples, bem tradicional do interior do Estado, típica da colonização. Em seguida caminhamos pelo entorno da igreja, pela frente do Seminário Rainha dos Apóstolos, conferimos os grandes bonecos italianos instalados em frente à Casa Paroquial e fizemos a tradicional foto com o letreiro da localidade. Tudo era paz e tranquilidade naquela manhã ensolarada e de céu azul. Uma delícia.

IMG_20200718_101820

Bem em frente à Igreja, na esquina, fica o conhecido Romilda Restaurante, estabelecido num prédio de estilo colonial enfeitado com flores. Li muitos comentários referendando o referido restaurante, especialmente a comida italiana de ótima qualidade, claro. Infelizmente estava fechado no dia em que estávamos na localidade. Na próxima visita vamos conferir.

IMG_20200718_102151IMG_20200718_102522IMG_20200718_114804

Seguimos a dica de um morador e fomos conhecer a Gentil Cachaçaria, que fica não muito longe da pracinha central. O Lu aprecia essa bebida e eu segui na parceria mesmo. Nos atenderam os simpáticos proprietários, pai e filha, que nos mostraram e explicaram o processo de fabricação da cachaça e por fim fecharam a apresentação com a degustação dos diversos tipos da bebida fabricada por eles. Eu me contentei com apenas a degustação de uma delas, enquanto o Lu experimentou todas e no final saiu carregado de sacolinhas com garrafas, tanto para ele consumir quanto para presentear.

IMG_20200718_105344

IMG_20200718_103530
Lindo visual do vale

Da Cachaçaria  nos dirigimos para a rua em frente ao antigo Ginásio Nossa Senhora de Lourdes, pertencente às Irmãs do Imaculado Coração de Maria onde antigamente funcionava como internato. Hoje, o colégio aluga algumas dependências para a Secretaria de Educação do Estado, onde funciona o Ensino Fundamental. O grande prédio, datado de 1892, está muito bem conservado e a pintura colorida lhe confere destaque na paisagem. Estacionamos a Frida por ali e seguimos a pé para subir o Calvário.

IMG_20200718_112026

O Calvário foi criado em 1913 com as 14 estações, que contam o Martírio de Jesus Cristo. Lá do alto desfrutamos uma vista panorâmica da vila. Muito bonito mesmo.

IMG_20200718_113100
Do alto do Calvário se vê boa parte da localidade de Vale Vêneto

Depois de fotografarmos e curtirmos o visual fizemos o caminho de volta até onde Frida estava estacionada e de lá seguimos pelas estradas de chão em direção a São João do Polêsine. Me distrai observando as esmeradas propriedades rurais, capitéis e capelas, evidenciando a religiosidade dos moradores. Em certa altura novamente acessamos o asfalto da RS 149 e em poucos minutos estávamos em São João.

IMG_20200718_120317
Igrejas e capitéis na estrada

Estacionamos a Frida junto ao canteiro central da principal avenida de São João do Polêsine, embaixo da sombra de uma árvore e iniciamos o preparativo de nosso almoço, já bem tardio. O Lu descobriu que bem ali havia torneira e um ponto de energia elétrica. Pronto, era só o que precisávamos para abastecer a caixa d’água da Frida e renovar a bateria.

Enquanto o Lu assumiu o controle do fogão fui comprar refrigerante, água mineral e aproveitei para dar uma voltinha pela redondeza, quando então descobri uma área pública, um pequeno parque gramado e sombreado, perfeito para desfrutarmos enquanto almoçamos.

Mudamos a casinha de lugar e arrumamos a mesa na área gramada onde almoçamos na maior tranquilidade. Já era metade da tarde quando avançamos no nosso tour pela Quarta Colônia. Conhecemos assim São João do Polêsine, Faxinal do Soturno, Agudo e Dona Francisca.

IMG_20200718_152057
Ermida em Faxinal do Soturno
IMG_20200718_151756
Vista do vale do alto do Cerro Comprido
IMG_20200718_161551
Antigo Tobogã e Teleférico em Dona Francisca

Fizemos algumas paradas para fotos, para conferir alguns pontos e seguimos para Novo Cabrais, município localizado às margens da BR 287. Fomos muito bem recepcionados no Posto Cabrais, no trevo de acesso à cidade, e por ali ficamos para passar a noite. Preparamos nosso jantar, tomamos banho no banheiro do posto e dormimos até de manhã.

Acordamos cedinho num lindo domingo e nos dirigimos para nosso passeio daquele dia: visita ao Parque Witeck. Preparamos nosso café da manhã na área em frente à portaria do parque, enquanto aguardávamos o horário da abertura do portão, às 9 horas.

IMG_20200719_073640
Nascer do sol anunciando um lindo dia de domingo
IMG_20200719_075903
Café da Manhã enquanto aguardávamos a abertura do Parque

Sobre o Parque: Em 1962 uma área de 100 hectares foi adquirida pelo médico ambientalista Acido Witeck. Tratava-se de uma terra degradada pela criação intensiva de gado, queimadas sucessivas e desmatamento das reservas nativas da região. O terreno apresentava relevo acidentado, erodido e sem nenhuma perspectiva de recuperação. Em 1966, num espaço de 10 hectares, foram plantadas as primeiras árvores. Hoje o número de espécies botânicas existentes na área é de cerca de 2100 espécies, entre árvores, arbustos e forrações, tanto nativas quanto exóticas.

IMG_20200719_085513
Estrada de acesso ao Parque Witeck
IMG_20200719_093425
Espaços super fotogênicos

IMG_20200719_093751

Pagamos o valor da entrada (é um parque privado), R$ 10 reais por pessoa, e após ouvir as explicações da responsável pelo local, seguimos pela trilha calçada e bem demarcada, que totaliza cerca de 3 quilômetros, segundo o que nos informaram. Importante levar água e lanches, se desejar, pois não há cantina, barzinho, nenhuma comercialização dentro do parque. Há um único prédio com banheiros masculino e feminino. Não é um lugar para camping, somente visitação, contemplação da natureza. Um belo passeio pra se fazer em família e com amigos. Prepare a câmera para muitos cliques.

IMG_20200719_090023
Casa pertencente à Família Witeck
IMG_20200719_091851
Achei fofíssima essa casinha no interior do Parque

IMG_20200719_092008

Nós ficamos no parque até às 11 horas e então retomamos a estrada de volta em direção à Santa Maria. Resolvemos retornar à Recanto Maestro para almoçar no Galeto Di Paolo, que fica bem na entrada do recanto, próximo ao trevo. Comemos super bem, o que resultou numa baita preguiça pós orgia alimentar.

IMG_20200719_100541
Lindos recantos no Parque Witeck

IMG_20200719_101138IMG_20200719_101537

Quando estávamos acertando a conta para sair do Di Paolo a atendente nos ofereceu vouchers para conhecermos o complexo de Águas Termais chamado “Termas Romanas” que está sendo construído próximo ao trevo da localidade. Como ainda tínhamos um pouco de tempo e até para espantar a preguiça, aceitamos.

A guia que nos recepcionou no acesso explanou que o parque de águas termais contará com 7 piscinas, algumas com águas bem quentes, a 40 graus, salobras e com propriedades medicinais. Também integra o empreendimento um Resort com mais de 350 apartamentos. Os prédios estão em fase final. Infelizmente a obra está atrasada. Era prevista para 2019, mas ainda não tem data definida para a abertura. Carece de alvarás, liberação de órgãos ambientais, conforme o que nos disseram.

Como fomos num horário de sol forte eu nem me animei em fazer fotos do Parque, mas achei a estrutura bem bacana e desde já curiosa em conhecer, em usufruir quando estiver em pleno funcionamento. Com certeza retornaremos para conferir.

Finalizada a visita eu e o Lu nos tocamos pra Santa Maria onde então nos despedimos na metade da tarde, cada um seguindo para seu destino da semana. Renovados, revitalizados por tantas belezas que vimos e pelas experiências que compartilhamos. Temos planos de seguir desbravando outras regiões do Estado, outros destinos turísticos em locais próximos, compatíveis com os finais de semana. Esperar somente as férias por que?!

Mais fotos do Parque Witeck:

IMG_20200719_094031

IMG_20200719_094739
Parque Witeck

IMG_20200719_095126

IMG_20200719_103139IMG_20200719_103714IMG_20200719_103737IMG_20200719_103753IMG_20200719_104649IMG_20200719_092042

 

 

Um comentário em “Quarta Colônia e Parque Witeck- Rio Grande do Sul – Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s